Tombamento do Museu ao AR Livre foi assunto da sessão desta segunda-feira (1), na Câmara de Vereadores de Orleans

Criado para ser a memória viva da imigração e da colonização da região do Sudeste catarinense, o Museu ao Ar Livre Princesa Isabel, em Orleans (SC), teve sua proposta de tombamento aprovada pelo Conselho Nacional do Patrimônio Cultural, no dia 12 de junho, na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Assim sendo, o Presidente da Fundação Educacional Barriga Verde (FEBAVE), Élcio Willemann, esteve na tribuna na noite desta segunda-feira (01) para apresentação da situação atual do Museu Ao Ar Livre Princesa Isabel de Orleans e o que representa o tombamento como Patrimônio Cultural do Brasil “A justificativa do tombamento é para dar a devida importância, o reconhecimento e resguardar a história dos nossos colonizadores, e reconhece como algo importante e fundamental da nossa história nacional, além da preservação de bens nacionais relacionado ao momento da nossa migração”, destaca Willemann.

Élcio também apresentou alguns dados estatísticos sobre as visitas do Museu Ao Ar Livre: Em 2017, 11.882 visitantes foram atendidos, sendo 6.541 visitantes espontâneos, 4.391 visitantes escolares, 524 visitantes em grupos e 64 pesquisadores. Em 2018, 13.196 visitantes compareceram ao Museu, sendo 7.557 visitantes espontâneos, 4.425 visitantes escolares, 1193 visitantes de grupos, 21 pesquisadores. Em 2019, até o presente momento, o Museu teve 5.378 visitantes, que para o Presidente da Febave é um aumento significativo devido à forte divulgação e à notícia do tombamento, registrando visitas de 35 municípios.

As reformas no Museu, segundo o presidente, foram realizadas com os próprios recursos da Febave para sua conservação, alegando também que as arrecadações são utilizadas nesses trabalhos juntamente com investimentos na Fundação.

A ajuda na divulgação também foi solicitada por Élcio: “Tudo que vocês puderem ajudar na divulgação do Museu é muito importante, porque é um patrimônio comunitário. Eu acho que a Febave ao longo do tempo, através dos seus dirigentes, soube respeitar com muito zelo a condição de instituição comunitária. Tudo que foi arrecadado foi investido na manutenção e inovação das atividades da Fundação Educacional Barriga Verde”.

Finalizando, o presidente também ressaltou que é importante a realização de projetos de divulgação e investimentos, pois tendo em vista as manutenções que foram realizadas no Museu nos anos anteriores, precisa de recursos financeiros, pois alega que, “o Tombamento não garante recursos”. Lembrou Élcio.

Na Ordem do dia foi discutido e aprovado o seguinte:

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 002/2019
“NOMINA COMO RUA ANTÔNIO ZANINI, A RUA PROJETADA Nº 399 COM INÍCIO NA RODOVIA SC-390 E TÉRMINO NA RUA ARCÂNGELO CAMPOS NA LOCALIDADE DE SANTA CLARA, MUNICÍPIO DE ORLEANS.”

Mais informações sobre as Sessões da Câmara de Vereadores de Orleans acesse:
https://www.orleanscamara.sc.gov.br/

Por: José Luiz Madeira | Voz Livre
Colaboração e Foto: Milla Flores