Mulheres são a maioria em cargos de chefia no TRE-SC

Equidade de gênero é um dos objetivos da Justiça Eleitoral catarinense

A luta por uma maior inclusão de mulheres em espaços de poder e posições de liderança é uma pauta que vem ganhando relevância nos últimos anos. No Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, as mulheres ocupam lugar de destaque na administração da Instituição.

Dos cargos de chefia, como secretários, coordenadores e assessores, 20 são ocupados por mulheres e 15 por homens. Nas demais funções comissionadas, 148 são mulheres e 179 são homens. No total, são 221 servidoras e 259 servidores no quadro.

O Conselho Nacional de Justiça, por meio da Resolução n. 255, instituiu em 2018 a Política Nacional de Incentivo à Participação Institucional Feminina no Poder Judiciário. A diretriz leva em consideração a importância de haver espaços democráticos e de igualdade entre homens e mulheres, incluindo oportunidades de liderança no serviço público. Assim, todo o Poder Judiciário compromete-se com a geração de espaços mais igualitários.

Mesmo antes da resolução do CNJ, o TRE-SC já tinha em seu quadro mais mulheres do que homens em posição de liderança. “A igualdade de gênero tem sido uma constante na cultura organizacional da Justiça Eleitoral catarinense, o que se manifesta pela forte representatividade feminina na ocupação de cargos e funções comissionados. Perceber e valorizar essa representatividade é importante, mas não nos desobriga, nas funções de servidores e gestores públicos, a manter e ampliar medidas que promovam e incentivem a participação efetiva das mulheres em todos os níveis de tomada de decisão na esfera administrativa”, afirma a secretária de Gestão de Pessoas, Andréa Tobias Granja.

Por: José Luiz Madeira | Voz Livre
Fonte: TER-SC