Cerveja artesanal vem ganhando adeptos na Região

Jonne Sachetti, integrante do CAES, fala sobre a cerveja artesanal no programa “Bom Dia Cidade” da Rádio Voz Livre.

Em nossa região, as cervejas artesanais cada vez mais vêm conquistando o mercado, atualmente muitos são os bares que reservam espaços específicos para este tipo de cerveja para quem gosta de apreciar novos e exclusivos sabores da bebida.

E este foi tema de entrevista do Programa “Bom Dia Cidade”, no quadro “A Hora do Especialista”. No dia 29 de julho, a Rádio Voz Livre FM recebeu em seu estúdio, o integrante da diretoria do CAES (Cervejeiros Artesanais da Encosta da Serra) Jonne Sachetti.

De acordo com Jonne, o CAES é um grupo de cervejeiros que se reúnem para apresentação e experimento das cervejas produzidas por eles, a fim de apontar opiniões de resolução de problemas e melhorias para que, a cada encontro, a qualidade seja evoluída. Hoje conta com aproximadamente 200 cervejeiros na nossa região, e os encontros geralmente são realizados toda última quinta-feira do mês, onde são levados 3l de cerveja por cada integrante para análise.

O integrante do CAES também comentou sobre o desenvolvimento do grupo ao longo dos últimos anos. “A semana cultural de Orleans, no governo de Jorge Koch, nos deu liberdade de montar um estande de cerveja artesanal na semana do município, isso fez com que o grupo crescesse muito, a gente doou cerveja artesanal para o evento e o que foi vendido no evento foi revertido para o CAES, o grupo conta com tenda, churrasqueiras e cinco choppeiras”, frisou Sachetti.

Ele ainda reforça como foi o início e a evolução na qualidade. “Todo encontro aparecia alguma cerveja com problema, e hoje em dia se percebe a evolução, e se discute a qualidade”, destaca Jonne, acrescentando que o grupo investe muito em cursos para cada vez mais obter o aperfeiçoamento, e consequentemente, qualidade na produção da cerveja artesanal. Os cursos são abertos a todos os interessados em participar, porém o preço é diferenciado para os integrantes do grupo. Ele também acrescenta que muitas vezes o CAES realiza encontros para elaboração de receitas, posteriormente dividindo o que foi produzido. “Isso é bom para troca de experiências” comenta.

Na entrevista, Jonne também esclareceu sobre a diferença entre a cerveja e o chopp. “O que diferencia a cerveja do chopp é a pasteurização, quase 90% das cervejas que vão para a garrafa são pasteurizadas, durante o processo de pasteurização ela perde um pouco de aroma, de sabor, acaba com que ela fique uma cerveja mais leve, o chopp na verdade e uma medida alemã. Os brasileiros ouviram esse termo na Alemanha e trouxeram para o Brasil, aí aqui virou o nome do produto”.

A diferença entre a cerveja artesanal e a cerveja industrializada também foi discutida. Jonne explica que a grande diferença está no modo como ambas são produzidas. “Água descolorada ou agua mineral como produto principal, depois os outros insumos são: o malte de cevada, lúpulo e a levedura (fermento), enquanto que, na industrializada é água, malte de arroz, malte de trigo e outras misturas de cereais, antioxidantes, conservantes para manter esta cerveja por muito mais tempo, química que a artesanal não possui”. Acrescenta Jonne, que esclarece inclusive o motivo pelo qual a cerveja artesanal se torna mais saudável.

Para o integrante do CAES, a produção da cerveja artesanal está se tornando cada vez mais acessível, pois a compra dos ingredientes em outros países está sendo mais facilitada nos dias de hoje. Além disso as cidades de Orleans e Braço do Norte já possuem lojas que comercializam estes produtos, trazendo mais agilidade aos cervejeiros, visto que a fermentação da bebida leva aproximadamente sete dias para o processo, e este mesmo tempo também para a decantação. Algumas bebidas ainda necessitam de mais um período para a adição de maior quantidade de lúpulo.

Jonne, ganhador de vários prêmios como cervejeiro, acredita que a cerveja artesanal crescerá ainda muito mais no mercado. Ele finaliza a entrevista agradecendo a todos, oferecendo-se à disposição para qualquer dúvida a respeito da produção de cerveja artesanal e se dispõe também a ensinar as pessoas que desejam iniciar nesse ramo.

Por: José Luiz Madeira | Voz Livre
Colaboração e foto: Milla Flores